Home » Alianças & casamento, História

Vestido e buquê brancos… como essa tradição começou?

28 abril 2011 2 Comentários Por Roberta Rossetto

Muitas mulheres casam de vestido branco, com véu sobre o rosto e um buquê de flores brancas nas mãos. E tudo isso é obra de uma só pessoa, a rainha Victoria.

Aos 18, muito jovem quando assumiu o trono inglês, Victoria (1819-1901) representava a renovação. E tudo o que ela usava virava moda. Naqueles tempos de casamentos arranjados, por política e interesses, era comum a realeza protagonizar uniões desastrosas. Mas com a rainha Victoria foi diferente. Ela se casou com um primo, príncipe Albert, por quem se apaixonou loucamente. Um amor recíproco. Então, tudo o que ela usou no casamento passou a ser um símbolo de sorte para as demais mortais.

Queen Victoria wedding Oct 15- 1839

Como sabemos que foi uma união feliz? Bem, ela escrevia diários e eles chegaram até nós (veja aqui). Há passagens inclusive da noite de núpcias que, pelo visto foi bem ‘caliente’:

“EU NUNCA, NUNCA tive uma noite assim!!! MEU QUERIDÍSSIMO QUERIDÍSSIMO QUERIDO Albert… seu amor excessivo & afeição me deram sentimentos de amor celestial & felicidade que eu nunca poderia ter esperado sentir antes! Ele em tomou em seus braços & nos beijamos de novo & de novo! Sua beleza, sua doçura & cavalheirismo — realmente, como eu posso um dia agradecer o suficiente por um marido assim?” 

Queen Victoria pendant 1864

Victoria já era rainha quando se casou. Então, foi ela quem propôs casamento a Albert. A cerimônia aconteceu em fevereiro de 1840. Ela não foi a primeira na monarquia a usar vestido branco, há registro de meia-dúzia antes dela, mas o mais comum eram os vestidos bordados com fios de ouro ou prata, com brocados ou coloridos. 

Dizem que ela escolheu branco porque queria usar renda inglesa como forma de estimular a produção e minimizar o desemprego entre artesãs, o que vinha acontecendo por conta da industrialização. Foi uma decisão política, portanto. Nada a ver com o simbolismo da pureza, até porque nessa época era o azul (aquele clarinho que normalmente vemos nos mantos de Maria) que simbolizava a pureza. 

Como Victoria posou inúmeras vezes com o vestido para vários quadros e também para fotos, que se espalharam pelo mundo, você já pode imaginar que casar de branco virou moda. Bem… pelo menos pra quem tinha dinheiro para comprar um tecido branco, então raro e caro. 

Nas várias fotos e pinturas o vestido aparece com detalhes diferentes, mudancinhas que Victoria foi fazendo aqui e ali, cada vez que posava. Mas a base era de cetim, recoberta de renda inglesa e apliques de flores, com longa e luxuosa cauda. Um fino véu sobre o rosto também é invenção creditada a ela.

Queen Victoria - Franz Xavier Winterhalter - 1847

A rainha segurava um buquê de flores de murta, florzinha branca miúda. Você acredita que até hoje, todas as princesas britânicas sobem ao altar com florzinhas tiradas da mesmíssima planta? A rainha Elizabeth II misturou-a com orquídeas. Lady Di também. E Kate Middleton com certeza vai ter murta em seu buquê.

Na cabeça, em vez de usar uma joia, Victoria optou por uma tiara de flores de laranjeira. Pois até aqui no Brasil, por muitos e muitos anos, as noivas queriam usar flor de laranjeira, fosse no buquê ou na cabeça, porque diziam que trazia sorte!

Queen Victoria wedding brooch 1840

O anel de noivado era de ouro, em formato de serpente e com cabeça de esmeraldas – design e presente de Albert. As joias usadas na cerimônia incluíam um colar de diamantes, brincos de diamantes e um broche de safira (a pedra, dizem, traz a sorte de ter filhos homens), também desenhado pelo príncipe (foto acima). Meses antes, ela havia ganho como presente de noivado um broche de flor de laranjeira, ramalhete também concebido por ele:

Orange Blossom Brooch - Queen Victoria - 1839 

Os casamentos reais até então eram feitos de forma reservada, à tarde ou à noite. Mas Victoria quis diferente. Marcou o seu para às 13h e organizou um grande espetáculo. 21 tiros de canhão anunciaram que ela estava deixando o palácio de Buckingham rumo à capela real. Uma multidão acenava nas ruas.  12 damas de honra a escoltaram até o altar. Elas usavam vestidos brancos e adornos de rosas brancas (tudo ideia de Victoria) e cada uma trazia um broche de ouro em formato de águia, desenhado por Albert. Algumas águias eram de turquesas azuis e pérolas (o amor verdadeiro), outras de rubis (paixão) ou ainda de diamantes (eternidade): 

Eagle brooch with tourquoise and pearls - 1940

Victoria e Albert tiveram 9 filhos, que geraram 42 netos, dos quais 26 se casaram com famílias reais espalhadas por toda a Europa – daí o apelido dado à Victoria, de “vó da Europa”.

>>> Por: Roberta Rossetto

Fotos: The Royal Collection © 2011,  Her Majesty Queen Elizabeth II www.royalcollection.org.uk

  • Twitter
  • LinkedIn
  • Facebook
  • FriendFeed
  • MySpace
  • Plaxo Pulse
  • Google Bookmarks
  • Yahoo Buzz
  • Windows Live Favorites
  • Delicious
  • Digg
  • Share/Bookmark

Deixe seu comentário!

Adicione o seu comentário abaixo, ou link o artigo em seu site. Você também pode acompanhar os comentários subscribe to these comments via RSS.

Para ter uma imagem personalizada em seus comentários clique aqui.